Esporte e FitnessPercursos e trilhas

Estrada da Graciosa: Confira essa incrível rota para pedalar

07/20019 - Estrada da Graciosa. Foto: José Fernando Ogura/ANPr

Costuma-se dizer que, em certas ocasiões, o destino supera a jornada. Isso é absolutamente verdadeiro quando se trata da Estrada da Graciosa, uma das rotas mais encantadoras em termos visuais, repleta de natureza exuberante, cachoeiras, e curvas sinuosas, uma combinação perfeita para garantir diversão e bem-estar. É um trajeto que nenhum entusiasta do ciclismo deveria perder.

Portanto, neste post, abordaremos esse passeio espetacular. Não perca os detalhes, dicas e informações cruciais para aproveitar uma das mais incríveis experiências de ciclo turismo no Brasil!

Por que pedalar na Estrada da Graciosa?

A Rodovia PR-410, popularmente conhecida como Estrada da Serra da Graciosa, está situada no estado do Paraná e faz a ligação entre a Região Metropolitana de Curitiba (Quatro Barras) e as cidades de Morretes e Antonina. Originalmente, era uma rota utilizada pelos tropeiros para acessar o litoral do estado, direcionando-se principalmente aos portos de Paranaguá e Antonina.

Sua construção teve início em 1854, coincidindo com o ano em que a Província do Paraná foi emancipada, sendo inaugurada apenas em 1873. Por muitos anos, foi considerada uma das estradas mais significativas do Brasil.

O trajeto totaliza 70 km (iniciando a 37 km de Curitiba) e possui um nível de dificuldade moderado. Para aqueles que planejam encarar este desafio, recomenda-se o uso de uma bicicleta de montanha (MTB), devido às várias descidas e curvas acentuadas, além de trechos que alternam entre pedra e asfalto.

Mas, qual o motivo de ser um dos trajetos preferidos pelos ciclistas? As razões são muitas.

Destaca-se, primeiramente, a beleza natural excepcional. A Estrada da Graciosa corta a área mais conservada da Mata Atlântica na região, incorporando dois parques estaduais: o Parque Estadual da Graciosa e o Parque Estadual Roberto Ribas Lange.

Tão impressionante é sua beleza que, em 1993, uma parte da Serra foi nomeada Reserva da Biosfera da Mata Atlântica pela UNESCO.

Durante o percurso, é possível desfrutar de vistas deslumbrantes, flores exuberantes, mirantes, fontes de água potável e uma abundância de beleza natural.

Prepare-se para encantos inesperados, como avistamentos de aves exóticas e tarântulas, enquanto pedala por esta região de mata densa.

estrada da Graciosa

Dicas para pedalar na Estrada da Graciosa

Para alcançar a Estrada da Graciosa partindo de Curitiba, existem duas opções principais. A primeira é pela BR-277 e a segunda, através de Quatro Barras pela Avenida Dom Pedro II, sendo este último um caminho particularmente encantador, equipado com ciclovias e propício para um passeio de bicicleta tranquilo.

O segmento mais conhecido da Estrada da Graciosa estende-se de Curitiba até Morretes. Parte de sua renomada popularidade deriva do famoso passeio de trem, altamente recomendado para os visitantes.

Para quem vem de São Paulo, o percurso é de aproximadamente 364 km pela Rodovia Régis Bittencourt, ou BR-116.

No início da descida da Serra da Graciosa, você será saudado por um portal distinto, um verdadeiro cartão-postal da região, adornado com uma arquitetura típica das missões jesuíticas — uma parada obrigatória para uma foto memorável.

Ao percorrer a Estrada da Graciosa, é possível fazer uma pausa em 7 áreas de lazer estrategicamente localizadas para apreciar a paisagem. Nestes pontos, além de outros serviços, estão disponíveis sanitários, churrasqueiras e, claro, mirantes espetaculares. Também é uma boa ideia levar uma mochila espaçosa para carregar produtos locais típicos.

Esses pontos de parada incluem:

  • Vista Lacerda: um local ideal para contemplar a baía de Paranaguá.
  • Rio Cascata: imperdível por sua bela queda d’água.
  • Grota Funda
  • Bela Vista
  • Curva da Ferradura: marca o início da Estrada do Caminho da Graciosa.
  • Mãe Catira
  • São João da Graciosa

Destaca-se o Recanto Mãe Catira, altamente recomendado por ser um local esplêndido para um refrescante banho, tornando-o uma parada essencial nessa aventura.

Vale destacar também o Porto de Cima, onde se encontra uma ponte sobre o rio Hundiaquara, integrante do Caminho de Itupava, uma trilha histórica da região.

Um ponto favorável da Estrada da Graciosa é que, até o momento da redação deste artigo, o acesso às cachoeiras é gratuito, o que certamente adiciona um atrativo a mais para os visitantes.

Apesar de toda a rota ser um espetáculo visual, a cidade de Morretes, ao final do percurso, se destaca como um pitoresco destino turístico. A cidade é rica em história e é altamente recomendável saborear o barreado, um prato típico local preparado em panela de barro, oferecendo um delicioso fechamento para um dia memorável.

Também é uma excelente ideia passar uma noite em São João da Graciosa para explorar atrações históricas e, no retorno, embarcar em um passeio de trem. Isso permitirá aproveitar ao máximo a experiência na região.

Recomendações e segurança

Já mencionamos que a Estrada da Graciosa possui uma dificuldade moderada. Portanto, é essencial não se descuidar e pedalar com atenção, especialmente nas descidas, que predominam ao longo do percurso. Nos finais de semana, o fluxo de carros tende a aumentar, então é recomendável manter-se sempre pelo acostamento direito e, enquanto isso, aproveitar para admirar as montanhas.

É fortemente desaconselhável tentar ultrapassar veículos ou tomar as curvas em alta velocidade. Se você não está familiarizado com a rota, não é possível prever o que encontrará após as curvas, o que pode resultar em colisões contra paredões ou quedas.

Outra recomendação importante é estar atento às condições climáticas.

A paisagem convida a longas contemplações, mas para não se preocupar com o tempo, o ideal é planejar uma hospedagem local ou verificar os horários do trem para o retorno.

Além disso, em condições de neblina intensa, a visibilidade pode ser comprometida, o que é realmente lamentável dada a beleza do trajeto.

Estrada da Graciosa: confira essa incrível rota para pedalar

Fauna e flora na Estrada da Graciosa

A Estrada da Graciosa transcende sua função de rota histórica, atuando também como um corredor ecológico que corta um dos setores mais preservados da Mata Atlântica no Brasil. Este habitat rico e variado é lar para uma vasta gama de espécies de flora e fauna, incluindo algumas endêmicas e outras ameaçadas de extinção, como as aves Arapongas e as tarântulas gigantes.

Fauna diversificada

Além das mencionadas aves Arapongas e das tarântulas gigantes, a Estrada da Graciosa abriga uma variedade de outras espécies animais. Entre elas, destaca-se o mico-leão-dourado, um ícone da conservação da Mata Atlântica. Durante a pedalada, é possível avistar tucanos, cujos bicos coloridos e cantos distintos embelezam ainda mais a experiência. Mamíferos como o quati e o tamanduá também são habituais na região, sendo frequentemente vistos por aqueles que exploram a estrada no início da manhã ou ao cair da tarde.

Flora exuberante

A flora ao longo da Estrada da Graciosa é tão espetacular quanto sua fauna, com uma ampla variedade de espécies arbóreas que criam um dossel denso acima da estrada. Entre elas, o palmito-juçara se destaca, cujos frutos são essenciais para a alimentação de muitos animais da região, e a figueira-mata-pau, famosa por suas raízes aéreas que formam incríveis esculturas naturais. Adicionalmente, nos meses de primavera e verão, a estrada se transforma em um caleidoscópio de cores com as vibrantes orquídeas e bromélias que adornam o caminho, oferecendo um verdadeiro espetáculo visual para os visitantes.

Conservação e Observação

Pedalar pela Estrada da Graciosa transcende a mera atividade física, tornando-se uma experiência profunda de conexão com a natureza. Ela representa um convite ao ecoturismo responsável, onde se pode observar e valorizar a biodiversidade sem perturbar seu habitat natural. A conservação deste corredor ecológico é crucial para assegurar que futuras gerações também possam usufruir e aprender com este valioso patrimônio natural.

Assim, a Estrada da Graciosa se revela mais do que apenas uma rota; é uma vivência interativa com um dos biomas mais significativos e ameaçados do planeta.

Caminhadas até o Salto da Fortuna em Morretes

Após um percurso vibrante de ciclismo pela Estrada da Graciosa, uma aventura adicional espera os aficionados por atividades ao ar livre em Morretes. O Salto da Fortuna, uma impressionante queda d’água de 50 metros, apresenta uma oportunidade perfeita para aqueles que desejam ampliar sua exploração da região além do ciclismo.

Caminhadas até o Salto da Fortuna em Morretes pedalando na Estrada da Graciosa

A trilha para o Salto da Fortuna

A trilha para o Salto da Fortuna se inicia no Parque Estadual do Pau Oco e percorre cerca de 3 km. O caminho, imerso na exuberante Mata Atlântica, serpenteia entre riachos e proporciona vistas espetaculares da flora local. Embora a trilha seja claramente demarcada e classificada como de dificuldade moderada, é essencial estar preparado para atravessar o rio em dois pontos, o que pode representar um desafio variável, dependendo das condições climáticas.

Dicas e cuidados na trilha

  1. Travessia de Rios: Os pontos onde a trilha cruza o rio podem apresentar correntezas intensas. É fundamental avaliar a profundidade e a força das águas antes de atravessar, particularmente após períodos de chuva recentes, que podem elevar o risco de enchentes repentinas.
  2. Segurança no Poço: A deslumbrante piscina natural no Salto da Fortuna convida ao mergulho, mas é recomendado evitar nadar devido à profundidade e às correntezas intensas. A área já registrou acidentes, portanto, a precaução é crucial.
  3. Respeito ao Meio Ambiente: Visto que a trilha se desenvolve dentro de uma área de conservação, é de suma importância recolher e levar embora todos os resíduos gerados durante a caminhada. Manter a limpeza e a integridade do parque é vital para a sustentabilidade do ambiente.

Como chegar

O acesso ao Parque Estadual do Pau Oco, ponto de início da trilha, é realizado pela Estrada do Anhaia em Morretes. A via é de terra, porém mantém-se em boas condições, sendo transitável para todos os tipos de veículos. É importante mencionar que o acesso a partir da BR-277 é limitado, uma vez que atravessa uma propriedade privada e está fechado para automóveis.

Esta caminhada é uma forma excepcional de enriquecer a experiência na Estrada da Graciosa, proporcionando aos visitantes uma oportunidade de mergulhar mais profundamente nas belezas naturais e na serenidade de Morretes.

Perguntas Frequentes

  1. É permitido andar de bicicleta na Estrada da Graciosa? Sim, andar de bicicleta na Estrada da Graciosa é totalmente permitido. Esta rota é extremamente popular entre ciclistas por sua exuberante beleza natural e paisagens inspiradoras. A estrada é frequentemente utilizada tanto para passeios recreativos quanto para treinamentos de ciclismo mais rigorosos.
  2. Pode pedalar na estrada? Definitivamente, sim. Pedalar na Estrada da Graciosa é uma experiência cobiçada por muitos ciclistas. Com um pavimento que alterna entre asfalto e trechos de paralelepípedos, oferece um percurso desafiador e recompensador através da Serra do Mar Paranaense.
  3. Pode subir a Estrada da Graciosa? Sim, e muitos ciclistas fazem justamente isso. A subida é considerada desafiadora, mas representa uma ótima oportunidade para testar e aprimorar as habilidades de ciclismo em um cenário deslumbrante. Os trechos íngremes são perfeitos para aqueles que desejam fortalecer a resistência e o poder nas pernas.
  4. Quantos km tem a subida da Graciosa? A subida da Estrada da Graciosa estende-se por cerca de 14 km. Este segmento é caracterizado por uma sucessão de subidas e curvas fechadas, imersas em uma vegetação luxuriante e frequentemente envoltas em uma suave neblina, adicionando um elemento místico à ascensão.

Embora a Estrada da Graciosa esteja bem sinalizada, é prudente levar um mapa ou GPS para evitar desvios em encruzilhadas ou entradas de fazendas, especialmente no início do percurso.

E não esqueça a câmera! Durante o início da primavera e até o meio do verão, quando muitas plantas estão florindo, a estrada fica ainda mais bela.

Lendo esse artigo pensou em alguém que adoraria fazer esse passeio? Então compartilhe esse post nas suas redes sociais e marque ele! Garantimos que não vai se arrepender de pedalar numa das estradas mais bonitas do Brasil.

Artigos relacionados
DicasPercursos e trilhas

Como é praticar ciclismo de Curitiba a Foz do Iguaçu

O estado do Paraná é uma verdadeira jóia para qualquer amante de aventura e esportes radicais.
Leia mais
Esporte e Fitness

Grupo Caloi: Conheça a história e suas melhores bikes

Qualquer um que goste de bikes provavelmente já ouviu falar do grupo Caloi. É possível…
Leia mais
CompetiçõesEsporte e FitnessNews

Onde assistir o Tour de France ao vivo no Brasil? Veja aqui

O Tour de France, uma das competições mais icônicas e aguardadas do ciclismo mundial, está de…
Leia mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *