ComponentesManutenção de Bike

Conheça toda a hierarquia SRAM para MTB (atualizado 2024)

Trocas bem rápidas, inovações a cada ano e revoluções no mundo do mountain bike. Com esse perfil, a SRAM pode ser considerada a segunda maior marca de componentes. Mas, ela não vive só de história, mas sim, de peças que vão do nível básico ao mais competitivo. E você vai conhecer a hierarquia SRAM para MTB agora!

A empresa norte-americana começou sua história lá nos anos 1980, e agora se consolida como uma das principais escolhas de ciclistas de MTB. Um dos motivos é a construção e a dinâmica de funcionamento de seus câmbios e sistemas.

Ainda tem dúvidas sobre os grupos de Mountain Bike da SRAM? Fique aqui e descubra neste post, todos os conjuntos de marchas da marca, com as atualizações dos últimos lançamentos 2024!

Conheça a Sram

Com fábrica em Chicago, no Estado de Illinois, nos EUA, o trabalho da SRAM é focado na produção de componentes de alta qualidade. Criada em 1987, seu nome deriva da junção das iniciais dos três fundadores originais da empresa, Scott, Ray e Sam.

Seu início foi marcado pelo desenvolvimento do sistema “Grip Shift”, que deu à empresa a entrada na indústria do ciclismo. Porém, em 1990, eles processaram a japonesa Shimano por práticas comerciais desleais. A alegação era a de que a concorrente estava oferecendo aos fabricantes de bicicletas um incentivo a mais. O intuito seria a de monopolizar os componentes da empresa oriental em suas transmissões.

O caso foi resolvido fora do tribunal, mas deu à SRAM a oportunidade de competir na concorrente indústria de componentes. Depois disso, o sucesso só aumentou. Tanto que, a SRAM, ao longo dos anos, adquiriu várias outras empresas, incluindo a RockShox, Zipp, Sachs, Avid, QUARQ e Truvativ.

A SRAM é uma empresa dedicada exclusivamente a componentes de bicicletas, não se desviando em nenhum momento para a linha de produção de bicicletas. Não é à toa que está entre as principais concorrentes da Shimano, pois oferece uma gama de produtos com qualidade e inovação tecnológica. Possui uma variedade de grupos de transmissões de bikes, oferecendo soluções desde ciclistas iniciantes até os ciclistas mais experientes.

Por dentro da sua linha de produtos

A SRAM oferece uma variedade de componentes como freios, suspensões e outras tecnologias. Porém, os produtos principais do seu catálogo são os grupos de transmissão, comercializados para ciclistas de nível básico, até os ciclistas de alta performance e profissionais da área.

Além dos grupos de transmissão para Mountain Bikes, a empresa trabalha também com a hierarquia SRAM para Road Bikes: Apex, Rival, Force e Red.

Diferenciação dos seus componentes

O preço e a qualidade dos componentes da SRAM e da Shimano não destoam muito. Por isso, alguns entusiastas acabam se fidelizando em alguma das duas marcas, seja por gosto, ergonomia ou mesmo a funcionalidade do sistema. Porém, é possível perceber alguns pontos de diferenciação:

– A taxa de ativação da caixa de câmbio da SRAM muda para 1:1. A proporção de 1:1 significa que o cabo se move mais, tornando a configuração menos sensível à influências.

– As caixas de engrenagens SRAM usam engrenagens de toque duplo. Ela trabalha com uma alavanca para fazer as trocas para cima e para baixo.

Confira toda a hierarquia Sram para MTB

Em um mercado com tantos bons concorrentes, não é fácil conseguir se manter entre os melhores. Porém, a SRAM vem a cada ano se mantendo no topo, pois investe em pesquisas e no desenvolvimento de novas tecnologias. O resultado disso pode ser visto em cada um dos modelos disponíveis na hierarquia SRAM para MTB:

LINHA EAGLE

A SRAM apresentou, antes da Shimano, a primeira linha de 12 velocidades para bicicletas de montanha.

Isso foi uma verdadeira revolução, pois hoje, boa parte das bikes ao 29 e outras, estão usando essa combinação de marchas. Leveza e funcionamento estável em todo o tipo de terreno motivam ciclistas a aderirem à novidade que tem vários grupos.

A SRAM, pioneira na introdução da primeira linha de 12 velocidades para mountain bikes, continua a inovar no mercado. A linha Eagle se destaca por sua leveza e funcionamento estável em diversos terrenos, uma revolução que muitas bicicletas aro 29 e outras categorias adotaram. Com os lançamentos de 2024, a SRAM trouxe melhorias significativas nessa linha, mantendo sua liderança tecnológica.

As atualizações incluem o design aprimorado dos derailleurs SRAM Eagle, que agora são mais robustos e compatíveis com o UDH (Universal Derailleur Hangers), garantindo menos ajustes e maior proteção. A nova funcionalidade “Magic Pulley” nos derailleurs evita interrupções no movimento da corrente, mesmo quando objetos são acidentalmente engatados, assegurando uma troca de marchas sob carga sem precedentes.

Além disso, a SRAM expandiu sua tecnologia com o sistema de transmissão Powertrain para eMTBs, introduzindo recursos como auto-shift e coast-shift, que proporcionam uma experiência de pilotagem mais intuitiva e ajustável. Combinando inovação técnica e ergonomia avançada, a linha Eagle da SRAM se mantém como a escolha preferida dos ciclistas que buscam performance e confiabilidade em seus equipamentos de MTB.

XX1 EAGLE AXS (2024)

Hierarquia SRAM para MTB, Sram XX1 AXS

O grupo top de linha da hierarquia SRAM para MTB é feito com os materiais mais leves e dispensa fios.

A linha XX1 Eagle AXS é eletrônica e ainda integra no mesmo trocador de marchas, o controle para um canote retrátil — quando o ciclista quer usar um na bike.

Além disso, o câmbio traseiro SRAM XX1 Eagle AXS funciona com os trocadores de linhas para gravel e estrada — SRAM RED AXS e SRAM Force eTap AXS.

O cassete da linha é de 10-52 dentes, conferindo muitas combinações para vencer diferentes terrenos. Já o pedivela é em carbono, com as coroas em alumínio ultraleve.

Novidades de 2024

Para 2024, a SRAM continua inovando na linha XX1 Eagle AXS com ajustes no design do derailleur e melhorias na configuração. O sistema foi refinado para reduzir a fricção e melhorar a expulsão de detritos.

Além disso, mudanças no design dos componentes, como o aumento no número de dentes da roldana inferior, contribuem para a eficiência e durabilidade do sistema. A SRAM simplificou a instalação e ajuste do derailleur, removendo a necessidade de parafusos de limite superior e inferior e simplificando o ajuste do B-gap.

Interessantemente, o sistema agora permite uma fácil desmontagem e reparo, e as peças de reposição estão disponíveis para compra, o que facilita a manutenção e prolonga a vida útil do grupo. A nova cassete XG-1297, com mudanças nos tamanhos dos dentes para as engrenagens mais baixas, promete transições mais suaves e um desempenho de troca de marchas mais preciso, mesmo sob carga total, como em e-bikes.

A cadeia foi redesenhada para se alinhar com essas mudanças, apresentando placas mais finas com material adicional no topo para maior resistência​

XX1 EAGLE

Hierarquia SRAM para MTB, Sram XX1 Eagle
 

A linha XX1 Eagle tem sua versão clássica: mecânica. Nesse grupo, as diferenças são que o câmbio não tem sensores e o trocador não tem conexão com um canote retrátil.

No mais, há uma ligeira diferença de peso entre a versão mecânica e a eletrônica, que para muitos não justifica a mudança de padrão.

Outro detalhe interessante do SRAM XX Eagle mecânico é que ele tem o opcional de vir com o trocador no padrão Grip Shift — rotativo ao invés de cliques.

XO1 EAGLE AXS

Hierarquia SRAM para MTB, Sram XO1 AXS
 

Esse grupo é mais voltado para um uso misto de cross country e trail, mas carrega basicamente as mesmas características do Eagle XX1 eletrônico.

A construção do câmbio e pedivela é um pouco mais robusta, o que é necessário para encarar terrenos de trail, especialmente as descidas. As mudanças das 12 marchas são feitas com o trocador em perfil de cliques, e o acabamento do grupo é escuro.

Para arrematar, o cassete do SRAM XO1 Eagle AXS também oferece 52 dentes em seu maior cog. Isso faz do grupo SRAM uma das melhores escolhas para trail em subidões.

XO1 EAGLE

Hierarquia SRAM para MTB, Sram XO1 Eagle
 

Seguindo os mesmos padrões do SRAM XO1 Eagle AXS, mas na versão mecânica. O que é a garantia de uma manutenção mais prática e que pode ser feita em oficinas que os mecânicos não estejam tão acostumados com a eletrônica.

A diferença é que nessa versão, existem muitas ofertas de coroas para o pedivela em fibra de carbono reforçada. Ao todo são 6 opções que começam nos 26 dentes e vão para os 40. Peças que dão conta das subidas e das descidas na modalidade trail.

GX EAGLE (2024)

 

O SRAM GX Eagle, conhecido por ser um grupo intermediário com ótimo custo-benefício, mantém suas 12 velocidades e cassete de 10-52 dentes na versão 2024, mas traz atualizações significativas. O grupo agora incorpora a tecnologia AXS, oferecendo a experiência de um sistema eletrônico a um preço mais acessível.

A versão 2024 do GX Eagle apresenta um design de cassete e corrente atualizados, com perfil X-Sync nos dentes para maior retenção e precisão nas trocas de marcha. O cassete mantém a configuração de 12 velocidades e uma faixa de 10-52 dentes, mas agora com espaçamentos de marcha mais otimizados, especialmente nas engrenagens menores, proporcionando trocas de marcha mais suaves e precisas.

Além disso, a construção do derailleur foi revisada, com uma gaiola interna em aço e placas de desgaste substituíveis, tornando o sistema mais robusto e reconstruível após impactos. Essas atualizações enfatizam a durabilidade e a confiabilidade do grupo, mantendo-o como uma opção versátil e resistente para diversas condições de trilha

GX EAGLE AXS (2024)

 

A linha GX Eagle AXS da SRAM, reconhecida por sua tecnologia sem fio AXS e durabilidade robusta, recebeu atualizações significativas em 2024. O GX Eagle AXS mantém sua faixa de 520%, mas introduziu melhorias como um perfil de dente X-Sync atualizado para engajamento seguro e desempenho de troca de marchas mais nítido.

A construção do derailleur e do cassete foi otimizada para melhor proteção e precisão, com uma gaiola interna de aço no derailleur, contribuindo para um leve aumento de peso, mas mantendo o custo mais acessível.

O sistema também apresenta um design reconstruível com links externos e placas de desgaste substituíveis, destacando a capacidade de manutenção do grupo. A configuração do cassete foi ajustada para proporcionar espaços mais consistentes entre as marchas, especialmente nas menores, melhorando a experiência de troca de marchas e a durabilidade. Além disso, a integração com a aplicação SRAM AXS permite uma personalização sem precedentes, permitindo aos usuários ajustar seus controles e experiência de pilotagem.

Essas atualizações enfatizam a missão da SRAM de combinar tecnologia avançada com acessibilidade, tornando o GX Eagle AXS uma escolha excelente para ciclistas que buscam performance confiável em um sistema sem fio

NX EAGLE

alt-ai está carregando...
 

O SRAM NX Eagle é um grupo de componentes de entrada da hierarquia SRAM para MTB, mas não deixa a desejar em terrenos difíceis. A razão para isso é o design e o funcionamento ágil do trocador e câmbio traseiro.

A principal característica desse grupo de mountain bike da SRAM é que ele vem com a combinação de 11-50 dentes no cassete. O que o torna mais limitado para algumas situações, mas sem perder a eficiência em muitas outras.

O pedivela do conjunto é no sistema DUB, que é bastante atrativo para quem busca uma tecnologia prática e confiável. Além do mais, o modelo traz a opção do trocador Grip Shift, que é de rodar a manopla para fazer as mudanças de marchas.

SX EAGLE

 

Na hierarquia SRAM de MTB, o SX Eagle foi criado para os ciclistas que só querem 12 velocidades, para aliviar peso da bike e ter um bom treino.

Esse grupo é o de entrada da linha Eagle da SRAM, e conta com as mesmas características dos componentes NX. Porém, com construção mais simples e o peso superior.

12 marchas, peças em alumínio de boa qualidade, construção robusta e a garantia de bons pedais são as marcas dessa linha que equipa muitas bikes de entrada.

SRAM XX (2024)

Este grupo é uma combinação ideal de leveza, durabilidade e desempenho, feita de aço e alumínio.

Seus componentes foram aprimorados em comparação com grupos anteriores para garantir maior eficiência na transmissão de energia e melhor gerenciamento de calor.

Além disso, incorpora a tecnologia X-SYNC 2 para maior precisão na troca de marchas e ostenta um elegante acabamento em alumínio.

Para o SRAM XX em 2024, houve melhorias significativas que aprimoram a durabilidade, eficiência e precisão. Os derailleurs Eagle foram redesenhados para serem mais robustos e são compatíveis com a interface Universal Derailleur Hangers (UDH), permitindo montagem direta no eixo da roda, o que reduz a necessidade de ajustes e aumenta a proteção contra impactos. A tecnologia X-SYNC 2 foi mantida, garantindo precisão na troca de marchas.

Além disso, as mudanças no design dos cassetes otimizam os passos de marcha nas engrenagens mais baixas, proporcionando trocas mais suaves e consistentes. O novo sistema de transmissão Eagle AXS permite mudanças de marcha sob carga, com uma performance de troca melhorada graças ao alinhamento e perfil dos dentes dos cassetes.

A cadeia Eagle foi atualizada para ser mais robusta, com material adicional nas placas planas, aumentando a resistência para as estreitas correntes de 12 velocidades. Todas essas atualizações reforçam a combinação de leveza, durabilidade e desempenho que caracteriza o grupo SRAM XX

SRAM XX SL(2024)

Este é atualmente o grupo mais leve e avançado da gama.

Seus componentes de carbono com um centro oco e as pedivelas e coroa otimizados permitem uma redução significativa no peso total.

As pedivelas contam com certificação ISO que garante que são as mais leves do mercado.

Além disso, possui a tecnologia SRAM X-DOME para trocar marchas mas rápida y suavemente.

De fato, uma particularidade da SRAM XX SL é que, segundo a própria marca, quanto mais forte você pedalar, melhor ele troca as marchas.

Estamos falando de uma combinação ótima de leveza, durabilidade e precisão.

O grupo SRAM XX SL continua sendo o mais leve e avançado da gama em 2024, mantendo sua essência de leveza e desempenho.

Com uma construção em carbono e centro oco, as pedivelas otimizadas garantem uma redução significativa de peso. A tecnologia X-DOME ainda é utilizada para garantir trocas de marcha rápidas e suaves.

As atualizações de 2024 incluem melhorias nos derailleurs da linha Eagle, que foram significativamente reestruturados para serem mais robustos e menos vulneráveis a danos. Agora compatíveis com o UDH (Universal Derailleur Hangers), estes derailleurs apresentam uma montagem mais direta e protegida, reduzindo a necessidade de ajustes.

A característica “Magic Pulley” no derailleur inferior permite que a corrente se mova mesmo se algo ficar preso, garantindo a mudança de marchas sob carga. Além disso, os derailleurs foram projetados para serem reconstruídos, não necessitando a substituição completa em caso de danos.

A cadeia do XX SL Eagle foi aprimorada com design de topo plano, oferecendo durabilidade e suavidade aprimoradas. O novo cassete apresenta mudanças otimizadas nos menores cogs, resultando em transições mais suaves entre as marchas mais baixas. Todas essas atualizações reafirmam o compromisso da SRAM em oferecer o melhor desempenho em seus componentes de ponta

SRAM XO (2024)

De todos os novos grupos, este é projetado para oferecer a maior durabilidade nas piores e mais agressivas condições, oferecendo excelente desempenho.

Apresenta um design inovador em aço e alumínio com uma relação muito equilibrada entre rigidez e peso.

Com componentes de alta qualidade e design robusto, o X0 oferece grande resistência ao desgaste e longa vida útil.

Vale destacar que, nesse novo grupo 2023, a pedivela foi rebaixada para evitar incômodo no calcanhar.

O SRAM X0 Eagle foi aprimorado para 2024, mantendo sua reputação de durabilidade em condições extremas e desempenho excelente. O grupo agora possui o design do crankset em alumínio mais avançado já produzido pela SRAM, com bash guards removíveis e substituíveis.

A transmissão X0 Eagle continua oferecendo a experiência de mudança de marchas precisa sob carga, graças à engenharia alemã. Além disso, o acabamento Dark Polar do X0 Eagle Transmission proporciona resistência à corrosão e desgaste, adequado para XC, trail e enduro .

 

Foto: Reprodução SRAM

Grupos especiais na hierarquia Sram para MTB

Conheça abaixo os grupos especiais desenvolvidos pela SRAM e compreenda o motivo que eles são destaques no mercado:

GX DH

 

O grupo GX DH foi concebido para pensar nos ciclistas de gravidade, especificamente para aqueles que curtem se aventurar no Downhill. Possui apenas 7 marchas e o conjunto de grupos consiste em um desviador traseiro, câmbio, corrente e cassete.

X01 DH (2024)

 

O SRAM GX DH, projetado especificamente para o downhill e ciclistas de gravidade, recebeu atualizações importantes para 2024. Agora, o grupo conta com o crankset Descendant atualizado, compatível com o eixo DUB e equipado com o anel de corrente X-Sync 2. Este crankset está disponível nos tamanhos de 165mm e 170mm, com um anel de corrente padrão de 34 dentes.

A manete do câmbio GX DH mantém a compatibilidade com o sistema MatchMaker e inclui um ajustador de cabo, embora não possua o recurso Zero Loss ou o ajuste de alavanca do X01. O câmbio traseiro GX DH agora está disponível em versões de gaiola curta ou média e recebeu melhorias com o uso da embreagem de rolamento tipo 3 Roller Bearing Clutch com Cage Lock, aprimorando a retenção da corrente e a estabilidade.

O cassete GX DH (PG-720) é compatível com freehubs HG padrão, disponível no tamanho 11-25. Esta compatibilidade com rodas mais antigas e o preço mais acessível em comparação com o cassete XO1 DH o tornam uma escolha popular, mesmo para aqueles que usam um sistema de transmissão XO1 DH em outros aspectos

EX1

 

Este é um grupo único, pois é desenvolvido com o crescente mercado de e-bike em mente. As bicicletas elétricas sobrecarregam mais os componentes de força por causa da assistência elétrica. Essa é a razão pela qual havia a necessidade no mercado de um conjunto de grupos mais robusto. EX1 possui um cassete de 8 velocidades com um alcance decente para andar de BTT.

Os engenheiros da SRAM resolveram esse problema e lançaram o EX1, com uma ampla gama de cassetes, porém apenas 8 marchas. É possível fazer uso perfeito da potência extra do suporte do motor, ao acelerar, sem ter que mudar muitas engrenagens.

Equipado com as comprovadas tecnologias de 1 velocidade da SRAM, ele é capaz de trocar de marcha intuitivamente sob carga, sem correr o risco de quedas de corrente ou danos materiais.

LINHAS DE 10 E 11 VELOCIDADES

A SRAM ainda distribui peças de padrões de 10 e 11 velocidades, mas, em menor escala do que as de 12 marchas. Talvez com o tempo, as 12v se tornem a principal aposta da marca e a escolha dos clientes.

No mais, as linhas de 10 e 11 velocidades são todas mecânicas e seguem construções muito parecidas com a linha Eagle. O que faz a qualidade geral de cada peça dos modelos de 10v e 11v serem bastante duráveis.

Veja quais são as linhas de 10 e 11 marchas, na respectiva ordem da hierarquia SRAM de MTB:

  • XX1
  • XO1
  • NX
  • GX
  • SX

Por último, diferente da Shimano, os grupos da SRAM não acompanham freios. O que abre espaço para combinações dessas peças de cada marca, fazendo a segurança e o desempenho no pedal ficarem ainda melhores. Não tenha medo de ousar nas escolhas. Se tiver a oportunidade, procure experimentar previamente o grupo.

Na hierarquia SRAM para MTB, vale escolher aquele grupo de peças que melhor combine com o seu objetivo de pedal. Tenha em mente quais são os desafios que você deseja enfrentar. Para que o investimento seja bem feito e os seus pedais rendam do jeito que você espera.

Garantia

O processo de garantia da SRAM é válido para o proprietário original. Ela oferece uma garantia de dois anos em materiais e mão de obra em todos os produtos. Ao contrário da sua concorrente mais próxima, a Shimano, ela não lida diretamente com os clientes finais.

Mesmo em outros países, todo e qualquer problema deve ser tratado diretamente com a loja onde o componente foi comprado. A solução da falha ou defeito, será encaminhada para o revendedor oficial da marca. No caso do Brasil, quem faz o intercâmbio entre a SRAM e os lojistas é a Proparts, uma das maiores empresas de lazer e esportes do Brasil.

Gostou de conhecer a hierarquia SRAM para MTB? Então acompanhe de perto as tecnologias e inovações das marcas. Assine a newsletter da Bike Registrada!

Artigos relacionados
ComponentesManutenção de Bike

Guia completo de discos de freio a disco para bicicletas: Tudo o que você precisa saber

Os discos de freio a disco transformaram a forma como ciclistas de todas as modalidades controlam…
Leia mais
DicasManutenção de BikeModelos de Bicicleta

Guia completo de bicicletas dobráveis leves

As bicicletas dobráveis têm ganhado espaço no mercado por sua praticidade e versatilidade…
Leia mais
ComponentesManutenção de Bike

Descubra o banco largo ideal para você: Guia completo com dicas e recomendações

O que você vai ver nesse artigo Toggle IntroduçãoComo escolher o banco largo idealTrês…
Leia mais

5 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *